El Niño e La Niña

Postado por Lucas quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012 0 comentários

El Niño, o que é?
Os fenómenos El Niño são alterações significativas de curta duração (12 a 18 meses) na
distribuição da temperatura da superfície da água do Oceano Pacífico, com profundos efeitos
no clima. Seu papel no aquecimento e arrefecimento global é uma área de intensa pesquisa,
ainda sem um consenso.

Por que recebeu esse nome?
O El Niño foi originalmente reconhecido por pescadores da costa oeste da América do Sul,
observando baixas capturas, à ocorrência de temperaturas mais altas que o normal no mar,
normalmente no fim do ano – daí a designação, que significa “O Menino”, referindo-se ao
“Menino Jesus”, relacionado com o Natal.

Explicação - Ano sem El Niño:
Durante um ano “normal”, ou seja, sem a existência do fenômeno El Niño, os ventos alísios
sopram no sentido oeste através do Oceano Pacífico tropical, originando um excesso de água
no Pacífico ocidental, de tal modo que a superfície do mar é cerca de meio metro mais alta
nas costas da Indonésia que no Equador.

Isto provoca a ressurgência de águas profundas, mais frias e carregadas de nutrientes na 
costa ocidental da América do Sul, que alimentam o ecossistema marinho, promovendo 
imensas populações de peixes – a pescaria de anchoveta no Chile e Peru já foi a maior do
mundo, com uma captura superior a 12 milhões de toneladas por ano. Estes peixes, por sua vez, também servem de sustento aos pássaros marinhos abundantes, cujas fezes depositadas em terra, o guano, servem de matéria prima para a indústria de fertilizantes.

Explicação simples:
Piscina = Oceano Pacífico Equatorial
Ventiladores = Ventos Alísios (que sopram de leste para oeste)

1- Imagine uma piscina (obviamente com água dentro), num dia ensolarado;
2- Coloque numa das bordas da piscina um grande ventilador, de modo que este seja da
largura da piscina;
3- Ligue o ventilador;
4- O vento irá gerar turbulência na água da piscina;
5- Com o passar do tempo, você observará um represamento da água no lado da piscina
oposto ao ventilador e até um desnível, ou seja, o nível da água próximo ao ventilador será
menor que do lado oposto a ele, e isto ocorre pois o vento está "empurrando" as águas
quentes superficiais para o outro lado, expondo águas mais frias das partes mais profundas da piscina.

Quando ocorre o El Niño:
O El Niño ocorre irregularmente em intervalos de 2 a 7 anos, com uma média de 3 a 4 anos,
os ventos sopram com menos força em todo o centro do Oceano Pacífico, resultando 
numa diminuição da ressurgência de águas profundas e na acumulação de água mais 
quente que o normal na costa oeste da América do Sul e, consequentemente, na 
diminuição da produtividade primária e das populações de peixe.

Outra consequência de um El Niño é a alteração do clima em todo o Pacífico equatorial: as
massas de ar quentes e úmidas acompanham a água mais quente, provocando chuvas 
excepcionais na costa oeste da América do Sul e secas na Indonésia e Austrália.
Pensa-se que este fenômeno é acompanhado pela deslocação de massas de ar a nível global,
provocando alterações do clima em todo o mundo.

Efeitos do El Niño no mundo:
Durante um ano com El Niño, o inverno é mais quente que a média nos estados centrais dos
Estados Unidos, enquanto que nos do sul há mais chuva; por outro lado, os estados
do noroeste do Pacífico (Oregon, Washington, Colúmbia Britânica) têm um inverno mais seco.
Os verões excepcionalmente quentes na Europa e as secas em África parecem estar
igualmente relacionadas com o aparecimento do El Niño.
Na Colômbia há a redução das precipitações e na vazão dos rios, no Equador e noroeste do
Peru ocorre justamente o contrário, enquanto que na região do altiplano da Bolívia e do Peru
o el Niño causa secas intensas.

Resumindo:
O fenômeno El Niño tem consequências diversas ao redor do globo. No Brasil as principais
mudanças incluem mais chuvas na região sul, secas na região norte e nordeste, aumento
da temperatura na região sudeste e tendências a chuvas e temperaturas mais altas na região
centro-oeste. O El Niño é justamente a ocorrência anormal desses fenômenos ocasionada
pelo superaquecimento das águas do Pacífico.

La Niña é o fenômeno inverso, caracterizado por temperaturas anormalmente frias, também
no fim do ano, na região equatorial do Oceano Pacifico, muitas vezes (mas não sempre)
seguindo-se a um El Niño. Também já foi denominado como “El Viejo” (“O Velho”, ou seja,
a antítese do “menino”) ou ainda o “Anti-El Niño”.

Glossário:

1. Arrefecimento
Significa controlar a temperatura.
2. Antítese
Ocorre quando há uma aproximação de palavras ou expressões de sentidos opostos.

Adaptado de Wikipédia, Info Escola e CPTEC

0 comentários:

Postar um comentário