Pegado ou Pego?

Postado por Lucas segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012 0 comentários

Alguns poucos verbos de nossa língua têm um particípio curto, irregular, ao lado do particípio
normal que todo verbo tem (em -ado ou -ido). Esses verbos são os famosos abundantes:
PAGAR, pagado e pago; ACENDER, acendido e aceso; IMPRIMIR, imprimido e impresso;
e assim por diante. Qualquer gramática razoável tem uma lista desses verbos. Cuidado,
contudo, com o poderoso efeito da analogia, que pode criar (ou tentar criar) novos
verbos abundantes. Isso já aconteceu com pegar. Para a língua culta formal, só existe 
pegado; o povo, por analogia com pagar (pagar está para pagado e pago assim como
pegar está para pegado e...), criou pego, que ainda é visto com desconfiança pelos acadêmicos.

Mas a pronúncia da palavra "pego" como qualquer palavra que seja considerada nova
(surgida da língua informal) ainda está pra fixar o som de sua primeira sílaba, eu
particularmente, já ouvi aberto, como em prego, e fechado, como em preço.

Conclusão:
Continue firme no pegado; por enquanto, essa é a forma abonada e justificada em todos os
bons autores. No entanto, não podes negar que pego já existe, já que milhões de
brasileiros o utilizam alegremente.

A língua que a gente usa é como nossa vestimenta:
Bermuda também é roupa, e atende às necessidades básicas do decoro; numa recepção,
contudo, o paletó e a gravata sempre serão a opção de quem quer se vestir bem.

Adaptado de Sua Língua

0 comentários:

Postar um comentário